LGPD e segurança da informação nas empresas: qual a relação?

A segurança da informação nas empresas é um ponto sensível e muito relevante na estratégia comercial. É necessário haver cuidados com um dos maiores ativos que o seu negócio pode ter: os dados dos clientes. Por isso, foi instituída no país a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) exatamente para regular o uso dessas informações e gerar maior transparência nos processos.

Pensando nisso, preparamos um artigo completo com a importância de entender como funciona a segurança da informação em âmbito corporativo e como ela pode ser implementada. Não perca mais tempo e confira todo o material a seguir!

Por que as empresas devem se preocupar com a segurança da informação?

Essa dúvida é uma das principais e revela como é preciso haver um planejamento e também ações direcionadas para esse fator. Com o intuito de manter a rede da empresa protegida, é fundamental que haja a utilização de um firewall com bloqueios e regras bem atualizadas. A adoção dessa estratégia possibilita uma maior proteção contra vulnerabilidades e em diferentes camadas de segurança.

Uma corporação que não tem um olhar direcionado a esse ponto pode acabar por colocar em risco todo o seu projeto. Isso decorre do fato de que ataques de hackers ou falhas internas podem resultar na divulgação dos dados de clientes e de informações estratégicas para o empreendimento. Tudo isso deixa claro por que a segurança da informação é uma pauta tão presente no cenário empresarial mundial.

Qual a relação entre a LGPD e a segurança da informação?

A implementação da LGPD mudou a visão das companhias sobre como os dados eram tratados, higienizados e utilizados na base interna do negócio. Com uma regulação e leis mais claras, foi possível criar um ambiente com maior confiabilidade e mais segurança. Isso advém exatamente do fato de que o controle de acesso, as políticas de uso de dados e o monitoramento de ações garantem uma maior transparência e mais eficiência a tais processos.

É preciso lembrar, ainda, que uma boa política de backup garante a integridade e a adoção de procedimentos de redundância no arquivamento dos dados. Tudo isso promove uma maior proteção na hora de salvar as informações e mitiga a ocorrência de falhas em todo o processo.

Quais as consequências de não cumprir a LGPD?

Ao ser instituída como legislação, a LGPD ganha um contorno jurídico muito importante. A partir disso, torna-se necessário entender que o seu não cumprimento pode resultar na aplicação de multas e punições, dependendo da gravidade da infração.

As multas, em conformidade, podem chegar a 2% do faturamento bruto da empresa. Entretanto, esse limite só pode atingir R$ 50 milhões. Além disso, é possível que haja sanções e penalidades que limitam a sua atividade, de forma parcial ou totalmente. É necessário, então, conhecer a vivência de qualquer negócio e criar políticas e governanças para se adequar e evitar maiores problemas futuros.

A LGPD já é uma realidade no país e demonstra como o mercado está evoluindo cada vez mais para proteger um dos maiores ativos que as empresas podem ter — os seus clientes, como dito. É preciso haver segurança, transparência e estratégia para analisar dados, mas, ao mesmo tempo, para garantir a confidencialidade e o direito que cada indivíduo tem sobre as suas informações.

Ao longo do artigo, foi possível conferir um pouco mais sobre a importância da segurança da informação nas empresas e como a LGPD veio para consolidar as iniciativas nesse ambiente. E você, qual a sua experiência com esse assunto? Comente agora mesmo!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.