Business intelligence

Como a governança de dados pode ajudar a melhorar suas vendas?

A sua empresa tem um processo de governança de dados bem estruturado? Hoje, negócios que deixam de investir nessa rotina correm o risco de ficar expostos a ataques, além de realizar um aproveitamento menos robusto das informações existentes.

A governança de dados tem um papel-chave nos processos corporativos da companhia, permitindo que a empresa faça um melhor uso das suas informações. A orientação será mais precisa e os mecanismos de controle evitarão acessos não autorizados.

Quer saber mais sobre o tema? Então, continue a leitura e veja o impacto que a governança de dados tem para o seu negócio!

O que é a governança de dados?

A governança de dados é uma política direcionada para orientar a maneira como o negócio realiza a coleta, o armazenamento e o uso de qualquer tipo de informação dentro do ambiente corporativo. Ela é estruturada para auxiliar o empreendimento a realizar um melhor aproveitamento das informações que estiverem disponíveis para os profissionais sem que a privacidade seja comprometida. Além disso, pode evitar problemas de integridade e mau uso dos registros.

No Brasil, a governança de dados passou a ser um assunto de gestores apenas nos últimos anos. Em geral, ela é considerada apenas quando há um problema no tratamento das informações (como perda de integridade e vazamentos para terceiros).

Porém, esse é um erro a ser evitado. A empresa deve pensar em governança de dados sempre, afinal de contas, o uso de informações digitais passou a ser algo comum em qualquer negócio, seja ele uma grande indústria, seja ele uma companhia de médio porte.

A governança de dados deve ser compreendida, em outras palavras, como uma política que direciona o uso de informações no ambiente corporativo a partir de metodologias de gestão, estratégias de segurança e meios de controle de acesso. Assim, os colaboradores podem utilizar as informações para obter novos insights e otimizar todas as rotinas corporativas.

Como a governança de dados deve ser implementada?

Para implementar a governança de dados no ambiente corporativo, a empresa deve tomar alguns cuidados. Eles auxiliam o negócio a ser mais eficaz no seu dia a dia, evitando riscos e otimizando o trabalho das informações. Veja, abaixo, três pontos críticos para atingir esse objetivo.

Seja transparente e objetivo

A boa governança de dados é clara e transparente. Isso significa uma distribuição bem-feita de papéis, a definição de regras que sejam conhecidas por toda a equipe e a busca por uma documentação acessível. Assim, todos poderão saber a melhor forma de utilizar os registros para atingir suas metas.

Adote a tecnologia

A tecnologia é fundamental para a governança de dados. Ela permite que a companhia possa ter um maior controle sobre os seus arquivos, consiga evitar riscos de segurança e possa salvar dados com mais confiança.

Portanto, sempre tenha o uso de tecnologia como uma ideia estratégica. Veja a tecnologia sempre como um modo de maximizar a qualidade da sua governança de dados e, com isso, evitar cenários em que as informações não possam ser transformadas em lucro.

Mantenha mecanismos de segurança

A empresa também deve ter mecanismos de segurança de dados. Eles são estruturados para prevenir problemas no armazenamento de informações, como a modificação não autorizada de registros ou mesmo a sua perda.

Isso envolverá determinadas práticas, como a aplicação de políticas de backup, que reduzem as chances de um dado não ser encontrado caso algo ocorra. Além disso, políticas de monitoramento e controle de acesso melhoram a confiabilidade da infraestrutura e garantem que a empresa direcionará o acesso e o uso dos arquivos apenas para as pessoas corretas.

Qual a importância da governança de dados para os lucros do negócio?

A busca por lucros é algo comum a qualquer negócio. Adotando a análise de dados, a empresa pode atingir melhores resultados de maneira muito mais inovadora, eficiente e dinâmica.

Podemos citar como exemplo o contato com fornecedores. Se o profissional tem informações mais precisas sobre a companhia e o mercado, ele terá mais facilidade para negociar melhores preços. Afinal de contas, a empresa não só terá dados precisos sobre os seus gastos com matéria-prima em médio e longo prazos, mas também registros sobre os preços praticados por outros parceiros comerciais.

Já na relação com clientes, a análise de dados também entra em cena. A companhia que contém informações abrangentes sobre o seu público-alvo e faz um uso contínuo desses registros se torna capaz de compreender melhor o seu consumidor.

Consequentemente, o time de marketing e vendas será capaz de estruturar estratégias muito mais inteligentes. Elas serão baseadas e focadas nas demandas e no perfil do consumidor, o que amplia ao máximo o seu alcance.

Mas, para que isso seja possível, é fundamental ter uma boa governança de dados. A empresa deve ter meios para gerenciar todos os registros de um modo robusto e seguro, algo possível com esse tipo de estratégia.

A governança de dados também permite que a empresa melhore os seus investimentos em softwares de análise de dados. Uma vez que as normas de controle estarão claras, a companhia poderá otimizar a implementação de novas tecnologias para evitar riscos e garantir os resultados esperados em médio e longo prazos.

Que papel uma empresa parceira pode ter na estruturação de políticas de governança de dados?

Para gerir os dados da melhor maneira possível, uma boa estratégia é contar com uma empresa parceira. O negócio pode ter o apoio de um time de especialistas, capazes de orientar os profissionais a estruturarem uma governança eficiente, além de oferecer soluções de software inovadoras e robustas.

Na Vórtice, por exemplo, temos ferramentas para criar um programa de fidelidade, gerenciar os dados de consumidores e analisar informações corporativas de maneira estratégica. Além disso, temos um time de suporte completo para auxiliar a sua equipe no processo.

O software de CRM permite que os profissionais consigam gerir todos os dados do relacionamento do consumidor com a marca de modo centralizado. Isso auxilia na busca por uma estratégia de atendimento mais ágil, personalizada e dinâmica.

Já as ferramentas de BI podem ser utilizadas para extrair informações corporativas e transformá-las em insights que auxiliam a companhia a ser mais eficaz e dinâmica no seu dia a dia. O gestor poderá avaliar, de modo mais inteligente, a estrutura do negócio e tudo o que pode ser feito para atingir melhores resultados em médio e longo prazos.

Em outras palavras, a Vórtice tem uma estrutura de serviços em 3 frentes (CRM, BI e workflow). Juntas, elas contribuem para o negócio ter uma governança de dados focada em resultados e na garantia de que todas as metas corporativas serão alcançadas em médio e longo prazos.

Empresas de sucesso, atualmente, são aquelas que sabem como utilizar informações a seu favor. A capacidade de utilizar dados de maneira estratégica auxilia empresas a preverem tendências, otimizarem processos corporativos e encontrarem novos meios para atingir o seu público-alvo.

No entanto, para que tudo isso seja possível, é fundamental ter uma boa governança de dados. A empresa precisa estar comprometida em estruturar uma política que permita a coleta, o armazenamento e o uso seguro de qualquer registro digital. Dessa forma, será possível aproveitar informações de modo mais abrangente sem comprometer a privacidade de terceiros.

Gostou das nossas dicas? Então, siga-nos no Facebook, no LinkedIn e no YouTube para acompanhar as próximas publicações.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.