A publicidade está sempre em busca de potencializar os negócios, gerando desejos onde eles ainda não existem. Nesse sentido, as campanhas de e-mail marketing ganharam grande importância nos últimos anos, principalmente com o acirramento do mercado em todos os setores.

Em seu período clássico, especialmente entre os anos 1950 e 1990, a publicidade procurou convencer o cliente de que aquele produto era bom para ele. A ideia era mobilizar as massas e levar às lojas o maior número de clientes possível.

Esse objetivo não mudou mas, nos dias de hoje, a abordagem é outra. Não são mais os clientes que se adaptam aos produtos, e sim o contrário. As empresas aprenderam que, para conquistar o cliente, é preciso oferecer aquilo que eles precisam, na hora em que eles precisam e por um preço que possam pagar.

A personalização do marketing

Paralelamente a esse fenômeno, ocorria, no mundo todo, a popularização da Internet. A partir da chamada Web 2.0, em meados da década de 1990, ninguém mais precisava de cartas, telefones ou telegramas para se comunicar. O e-mail passou a ser a solução.

A junção da publicidade personalizada com as correspondências eletrônicas gerou o que, hoje, conhecemos como e-mail marketing. Trata-se de campanhas direcionadas, extremamente personalizadas, utilizando o e-mail como veículo. A ideia é que a empresa chegue à caixa postal do seu cliente sem que pareça que outros estejam recebendo a mesma oferta, mesmo que estejam.

A eficácia do e-mail marketing

O e-mail marketing é uma ferramenta poderosa, pois proporciona uma comunicação direta, por meio da qual sua marca chega até a caixa de entrada do cliente. Por isso, é preciso fisgá-lo desde o primeiro momento, para que a abordagem seja eficaz.

Normalmente, uma pessoa recebe inúmeros e-mails por dia e para fazer com que sua marca se destaque no meio de tanta coisa, é preciso cuidar de dois pilares básicos:

  • Dados pessoais: e-mails generalistas são rapidamente descartados, antes de serem lidos. Por isso, o e-mail marketing deve conter os dados pessoais do cliente, como forma de demonstrar que aquela comunicação é, efetivamente, feita para ele. Errar o nome ou trocar alguma informação é pedir para que seu trabalho seja direcionado para a lixeira instantaneamente.
  • Gostos e interesses: passada a primeira barreira, a da identificação, é preciso caprichar na oferta. Por meio de seus sistemas de cadastro, você tem condições de saber o que o cliente quer naquele momento. Por isso, seu e-mail marketing tem que atingir em cheio o cliente e satisfazer a demanda dele naquele momento. A elaboração de uma oferta personalizada é fundamental para garantir a eficácia da abordagem.

Um e-mail marketing bem feito e personalizado faz com que o cliente se identifique com sua marca e crie uma cultura de valorizá-la, por entender que ela também o valoriza. Com isso, você consegue a tão sonhada fidelização, que muitas marcas não alcançam justamente por ainda apostarem no marketing generalista.

E você, quais são suas experiências com campanhas de e-mail marketing? Deixe seu comentário ao final deste post e compartilhe aqui suas ideias com seus colegas de profissão!