Cada vez mais, a implantação de BI (Business Intelligence) tem se tornado necessária e acessível a empresas de pequeno, médio e grande porte. As ferramentas de TI disponíveis no mercado são de fácil compreensão e revelam informações essenciais para a tomada de decisão no nível tático acerca do mercado consumidor.

Entretanto, o que poucos realmente se atentam, é em relação à estrutura necessária antes da implantação das ferramentas de BI. Sem essa preocupação, existe uma grande chance de não se obter o retorno necessário com informações imprecisas e confusas.

Para ter uma área de BI bem-sucedida, confira as 5 dicas que separamos abaixo!

1. Defina os requisitos funcionais da implantação de BI

Antes de mais nada, trace objetivos com a diretoria da empresa e entenda quais as necessidades de se implantar uma área de BI. A partir disso, é possível pesquisar softwares e ferramentas que se adéquam à necessidade da sua empresa.

A grande maioria das opções de ferramentas disponíveis são customizáveis e garantem suporte, por isso, você pode optar por contratar um serviço de TI especializado em gestão de BI. Eles também auxiliarão nas melhores formas de recolher os dados para gerar as métricas.

2. Tenha uma integração eficiente com demais sistemas

O grande diferencial dos softwares de BI é sua capacidade de armazenar informações de diversos sistemas em uma unidade conhecida como Data WareHouse. Com isso, informações de sistemas de CRM e ERP, por exemplo, podem ser agrupadas para gerar importantes métricas para a tomada de decisão.

É vital que você selecione quais dados serão exportados e garanta uma boa integração entre esses sistemas. Se necessário, você ainda pode contar com ferramentas de workflow, que nada mais são que plataformas de organização dos processos da empresa. Essas plataformas garantem uniformidade na comunicação e melhor distribuição de tarefas.

3. Escolha os responsáveis pela área de BI

Selecione quais serão as pessoas responsáveis pela área de BI na empresa. Reúna gestores de diferentes áreas e garanta que estoque, produção e vendas sejam bem representadas. Um time bem preparado é aquele que garante uma tomada de decisão unificada e inteligente.

Além disso, pense também na parte técnica e no suporte em TI necessário para o bom funcionamento das suas ferramentas.

4. Capacite gerentes e responsáveis

Após ter seu time escolhido, garanta que eles entendam o papel dele no momento de decidir quais informações são relevantes para gerar os KPI (Key Perfomance Indicator). Eles precisam entender como os dados funcionam, como o sistema de BI extrai e fornece as métricas. Dessa forma, eles apontarão quais são as melhores fontes de consulta para gerar métricas precisas.

Você pode fornecer treinamentos e capacitações antes de iniciar sua área de BI para que seu time esteja bem preparado. Assim, eles poderão tomar decisões rápidas e antecipar tendências de mercado.

5. Identifique os KPI

Ainda relacionado ao item anterior, apenas ter métricas nas mãos não é suficiente. As ferramentas de BI transformam dados brutos em dados dimensionais, ou seja, indicadores. É necessário, além de fornecer dados corretos, interpretar os KPI para tomar as melhores decisões.

Alguns exemplos de KPI podem ser:

  • volume de venda de um determinado produto por colaborador;

  • ticket médio por perfil de consumidor;

  • ROI (Return on Investment) de determinada campanha;

  • margem de lucro de determinado produto em período x.

Com essas informações, é possível saber se os objetivos e metas da empresa estão sendo alcançados. Caso o retorno seja negativo, novas decisões poderão ser tomadas para melhorar a situação.

Essas medidas certamente o ajudarão a criar uma unidade de BI na sua empresa com foco e direcionamento. Quanto melhor seu planejamento, melhores resultados suas estratégias terão.

Se gostou do conteúdo, aproveite para compartilhar essas dicas de implantação de BI nas suas redes sociais!